dicas

 

               

 

Enquanto nossa espécie aguarda 9 meses para o nascimento de um bebê, outras espécies de mamíferos podem possuir um maior ou um menor tempo de gestação. Essa variação é determinada principalmente pela expectativa de vida do animal e seu tamanho corporal, porém isto não é uma regra. Logo, aqui vão algumas curiosidades sobre nossos pets quanto ao tempo de gestação e idade do desmame dos bebês.
Dentre as espécies de pets, os cães e gatos são nossos maiores conhecidos. Os cães apresentam uma gestação de aproximadamente 58 a 68 dias e apresentam desmame de seus filhotes de 5 a 6 semanas de vida. Já os gatos, apresentam gestações de 64 a 67 dias e seus filhotes apresentam desmame em 8 a 10 semanas após o nascimento.
Para nossos pets-não-convencionais destacamos algumas espécies de mamíferos, como os coelhos que apresentam gestações que variam de 28 à 35 dias e o desmame dos filhotes em 4 à 6 semanas, os porquinhos-da-índia com uma gestação de 59 à 72 dias e desmame dos filhotes em 2 à 3 semanas, as chinchilas com uma gestação de 111 à 125 dias e desmame dos filhotes em 6 à 8 semanas, os ratos com uma gestação de 21 à 23 dias e desmame dos filhotes em 3 à 4 semanas, os gerbis com uma gestação de 24 à 26 dias e desmame dos filhotes em 3 semanas, os hamsters-sirios uma gestação de 15 à 18 dias e desmame dos filhotes em  3 à 4 semanas e os hamsters-chineses uma gestação de 20 à 21 dias e desmame dos filhotes em 3 semanas.
Ainda como curiosidades trazemos os furões, que apresentam uma gestação de 41 a 42 dias e desmame dos seus filhotes em 6 à 8 semanas, todavia por esta espécie por ser da fauna silvestre exótica, não apresenta autorização para reprodução no nosso país. 
Os cuidados com os neonatos variam muito conforme as espécies. O leite materno assim como nos humanos, é muito importante ao filhote. Sua composição é diferente para cada espécie, por isto quando cuidamos de órfãos torna-se necessário o uso de leites artificiais substitutivos, sendo as composições diferentes para cada espécie, as quantidades e número de amamentações por dia. Como curiosidade, destacamos os coelhos que mamam somente de uma a duas vezes ao dia.
Outro fator muito importante para os filhotes é a temperatura ambiental. Todos os mamíferos possuem pelos, porém ao nascimento muitos nascem sem esta proteção, sendo estes os que necessitam de um maior cuidado com o conforto térmico ambiental, sendo a temperatura ótima para maioria das espécies entre 22 à 27ºC.

 

               

 

Existem inúmeras espécies de répteis que se reproduzem através da postura de ovos. Dessa forma, estes animais são classificados como ovíparos (animais que põe ovos), como é o caso das tartarugas e jabutis. No entanto, existem algumas serpentes e lagartos que dão a luz aos seus filhotes já formados. As fêmeas ovíparas procuram locais isolados e tranquilos, aonde possam escavar o seu ninho e ali depositarem seus ovos. Chegado este momento, e pensando naqueles animais criados como pets em cativeiro, cabe a nós proporcionar um ambiente adequado, com substrato ideal para que elas possam se reproduzir de maneira adequada. Para que isto aconteça, podemos montar um recinto que contenha uma parte com areia, terra ou vermiculita. A partir da postura, os ovos são chocados pelo calor do ambiente até sua eclosão. Durante este período a maior parte das fêmeas não tem nenhum tipo de cuidado maternal, elas simplesmente abandonam o ninho e deixam a maturação dos ovos acontecer naturalmente. Se houver a presença de um macho no mesmo ambiente, este deve ser separado para que não cause danos a fêmea ou aos ovos.
A reprodução é fisiológica e não há motivo para intervenções. Porém, muitas vezes podem ocorrer situações em que as fêmeas não conseguem fazer a postura dos ovos, retendo estes dentro do seu aparelho reprodutivo. Curiosamente, poucas pessoas sabem que mesmo as fêmeas sendo criadas isoladamente e sem a presença de um macho, estas podem produzir ovos.
A distocia ou retenção de ovos acontece por diversos fatores. Como causas temos a má nutrição, deficiência de vitaminas, desidratação, infeções no sistema reprodutivo, cálculo urinário, fêmeas em idade avançada, disfunções hormonais e até mesmo a ausência de um local adequado para postura. Todo este quadro é acompanhado de sinais clínicos como anorexia, emagrecimento, dor, alterações respiratórias, aumentos de volume no corpo, e até mesmo situações bem graves como o prolapso de cloaca.
Você já pensou nisso? Recomendamos que sejam feitas radiografias anuais para que se possam evitar tais complicações. Se o seu animal apresentar qualquer um destes sintomas, fique atento! Procure imediatamente um veterinário especializado.

 

 

 

               

 

Esta sentindo aquele cheirinho desagradável vindo da boca do seu animalzinho? Ele não esta querendo comer a ração como comia antigamente? Ou você percebeu que os dentes estão com um aspecto diferenciado e coloração alterada? Isso pode ser indicativo de doença periodontal. Durante a mastigação o animal pode acumular alimento entre os dentes, possibilitando a formação de placa bacteriana (tártaro), mau hálito, inflamação da gengiva, salivação intensa e até a perda dos dentes. Gengivites podem ocasionar dor, e muitas vezes a evolução da doença pode levar a infecções generalizadas comprometendo órgãos importantes como coração, fígado e pulmões.
Mesmo quem nunca escovou os dentes do seu animal pode iniciar a escovação depois da idade adulta, basta ter calma e paciência. Primeiro leve seu cão ou gato para uma avaliação com um médico veterinário, o qual lhe indicará a melhor medida e prevenção para manutenção da saúde bucal e orientar sobre o início deste processo. Depois passamos para a escolha dos produtos utilizados, os quais não podem ser os mesmos de uso humano devido aos seus constituintes serem prejudiciais aos animais. As pastas dentais de uso veterinário são produzidas para que o animal possa engoli-las sem nenhum dano - são palatáveis, não possuem substâncias tóxicas e auxiliam na retirada da placa bacteriana. As escovas possuem uma angulação que possibilita alcançar todos os cantos da cavidade bucal e cerdas macias que não causam lesões à gengiva. O período mínimo de duração da escovação deve ser de 15 minutos e após podem ser utilizados enxaguantes bucais especiais diluídos na água de beber. É imprescindível que seja feita todos os dias, de preferência sempre no mesmo horário, para que o animal se acostume com esta novidade. É difícil? Nós da Pet Fauna podemos te ajudar nesta escovação, pois possuímos um serviço de escovação dentária durante o banho e tosa do seu filhote. Informe-se e garanta uma boca limpa, cheirosa e saudável!
         

                

     Seu animal de estimação se alimenta bem? Essa deveria ser a primeira pergunta a se fazer quando se tem um animalzinho de estimação em casa. Se alimentar bem não significa ingerir grande quantidade de alimento e sim receber a alimentação correta de acordo com a espécie. A má alimentação além de proporcionar o ganho excessivo de peso, ainda leva a muitas enfermidades relacionadas ao excesso ou falta de determinados nutrientes. Este problema é muito comum, e acaba sendo um dos fatores que mais leva animais ao consultório veterinário. Cada espécie possui uma necessidade nutricional variada e respeita-la é o primeiro passo. Aves e répteis são espécies muito acometidas pela falta de informação sobre o manejo nutricional. Existem répteis carnívoros, herbívoros, onívoros e ainda existem aqueles que quando jovens são onívoros, e possuem uma necessidade proteica mais elevada, e quando adultos passam a ser totalmente herbívoros. Você já se perguntou por que nunca viu um coelho em cima de um pé de bananeira? Porque eles são herbívoros, e não comem frutas. Em aves, a antiga cultura criada, aonde se acreditava que as aves se alimentavam basicamente de sementes já não é mais sustentada, pois antigamente as sementes eram o único alimento comercialmente produzido para as mesmas. Hoje em dia, há inúmeras rações peletizadas de alta qualidade nutricional para todas as espécies de aves, as quais possuem um teor inferior de gorduras se comparada com as sementes. Dentre as doenças mais comuns por erro de manejo nutricional, podemos citar as doenças metabólicas (fraturas, tremores, amolecimento dos ossos, distocias), hipovitaminoses (hiperqueratose, anorexia, blefaroedema em répteis (inchaço das pálpebras)). E os cães e gatos? Estes também possuem exigências únicas. Existem rações de ótima qualidade no mercado, inclusive rações terapêuticas, que são capazes de auxiliar no tratamento de inúmeras doenças. Porém, cada vez mais seus tutores estão em busca de alimentos mais naturais, e a Alimentação Natural (comida de verdade, balanceada) vem sendo muito utilizada. Procure um médico veterinário antes de começar a alimentação do seu filhote, assim, você vai entender e conseguir atender as exigências nutricionais do seu companheiro!

 

                     

Você sabia que coelhos e roedores tem crescimento contínuo dos dentes?
Tanto os dentes molares como os incisivos desses animais crescem durante toda a vida, e uma alimentação correta pode contribuir para evitar ou retardar problemas dentários. Traumatismo, má alimentação e genética podem ser responsáveis pela má oclusão dental, resultando em crescimento anormal dos dentes e das raízes dentárias. Os sinais clínicos típicos de doenças odontológicas nesses animais são: anorexia, perda de peso, salivação excessiva,
dificuldade em comer verduras e ranger dos dentes. Radiografias da cavidade oral são fundamentais para o prognóstico e evolução do tratamento. Em muitos casos os pacientes precisam fazer o desgaste dos dentes regularmente e pelo resto da vida, caso contrário não conseguem se alimentar. Por isso antes de ter um animalzinho é importante saber sobre sua fisiologia e doenças comuns dessas espécies. Procure sempre um criador de confiança e pergunte sobre o histórico dos pais. 
Aqui na Pet Fauna contamos com uma equipe especializada para fazer todo o tratamento do seu animalzinho da forma mais segura. Anestesia inalatória, para uma rápida recuperação, e todo material cirúrgico especial para esses dentinhos tão diferentes! Caso você tenha um coelho, porquinho da índia ou chinchila com algum desses sinais, entre em contato com os nossos veterinários!

 

                 

Leishmaniose é uma zoonose grave (que passa do cão para o homem, através da picada do mosquito-palha). Este mosquito está presente nas áreas urbanas e rurais. Ao picar um cão infectado (que serve de reservatório) o mosquito adquire o protozoário (leishmania) através do sangue ingerido, tornando-se um vetor capaz de transmitir a doença tanto para o homem quanto para outros animais. As crianças, idosos e portadores de afecções imunossupressoras, os quais normalmente possuem uma resposta imunitária baixa, são as mais suscetíveis a adquirirem a doença.

Nos cães que se contaminam, o aparecimento dos sinais clínicos pode variar de um mês a vários anos. O cão pode não ter nenhum sinal clínico, mas tornasse reservatório da doença, podendo servir como fonte de infecção para os indivíduos ao seu redor. Nestes animais há duas possibilidades para o desenvolvimento do parasita: na pele (Leishmaniose cutânea) e/ou no fígado, rins e linfonodos (Leishmaniose visceral).

Sintomas nos cães:

1)    Perda de pelo (ao redor dos olhos, nariz, boca e orelhas)

2)      Crescimento exagerado das unhas

3)      Úlceras e descamação da pele (feridas) que não cicatrizam

4)      Emagrecimento e diminuição do apetite e atrofia muscular

5)      Sangramentos e anemia

6)      Alterações articulares, aumento dos linfonodos (muitos dos sinais também compatíveis com outras doenças)

É uma zoonose com risco a saúde pública, e o Ministério da Saúde (MS) ainda indica a eutanásia para os animais positivos para a doença visceral, porém, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) já liberou o tratamento com medicamentos, desde que haja acompanhamento veterinário. O TRATAMENTO NÃO TRAZ A CURA, O ANIMAL CONTINUA SENDO TRANSMISSOR, PODENDO HAVER RECIDIVAS DOS SINTOMAS E CONSEQUENTE ÓBITO DO ANIMAL!

A vacinação dos cães é recomenda, porém ela não garante 100% de proteção. O intervalo de doses deve ser respeitado rigorosamente e ela só pode ser aplicada em animais sadios testados sorologicamente.

Para controlar o mosquito, é necessária a higienização das casas e quintais, retirando qualquer matéria orgânica que o vetor possa se desenvolver. Além disso, existem no mercado coleiras e soluções tópicas para os cães à base de piretróides, capazes de repelir o inseto, impedindo que ele pique o animal.

Esta é uma doença alarmante e em constante expansão em nosso estado, por este motivo todos devemos adotar as medidas preventivas evitando que ela se alastre ainda mais.

Como proteger o seu filhote?

1)    VACINAÇÃO

2)    COLEIRA OU SOLUÇÕES TÓPICAS À BASE DE PIRETRÓIDES

3)    LIMPEZA DE MATERIAL ORGÂNICO NA SUA RESIDÊNCIA

Vacine seu filhote aqui na Pet Fauna!

                

Existem inúmeras espécies de animais silvestres e exóticos que precisam de autorização legal para serem criadas como pets de estimação. Dessa forma, muitas são consideradas ilegais aqui no Brasil, como é o caso dos "hedgehogs", das serpentes "corn snakes", dos "dragões barbados", dos "leopardos geckos"...A importação dessas espécies citadas acima (entre outras) está proibida desde 1998, e por isso a sua criação é somente permitida por criadores cadastrados e que possuem autorização legal antes desta data.
Algumas espécies exóticas bem comuns criadas como pets já são consideradas como animais domésticos, não necessitando de autorização para a sua criação, como é o caso das calopsitas, porquinhos-da-índia, coelhos, chinchilas...
Como saber se o seu animal é legal:
1) Ser vendido por criadouro/loja autorizada e registrada em órgão ambiental responsável (IBAMA/SEMA).
2) Possuir nota fiscal com identificação individual do animal.
3) Possuir anilha ou microchip (dependendo da espécies).
E se você possui um animal ilegal, você pode leva-lo ao Médico Veterinário? Sim, você pode e deve! É essencial para qualquer espécie animal ter o acompanhamento de saúde durante toda a sua vida, independente da sua origem!
E existe a possibilidade de legalizar um animal ilegal? Infelizmente, hoje em dia, não existe essa possibilidade. Seu animal será sempre ilegal, por isso, nunca compre animais ilegais.
Nós da Pet Fauna atendemos TODAS as espécies de animais e estamos a disposição para esclarecer suas dúvidas. 
Você também pode consultar as legislações vigentes abaixo, as quais lhe fornecerão informações detalhadas sobre o assunto:
- PORTARIA IBAMA n° 93/1998 (Importação de animais exóticos e lista de animais domésticos)
- PORTARIA n° 163-N/1998 (Furões)
- PORTARIA SEMA n° 79/2013 (Saguis)
- PORTARIA SEMA n° 46/2015 (Tartarugas)


                

Cada espécie enxerga de uma forma diferente. Alguns não enxergam as cores, outros veem tudo em tons mais pastéis e menos vibrantes como o amarelo, verde e o azul, assim como alguns são capazes de ver a luz ultravioleta. Outros possuem uma visão periférica, e ainda existem as espécies de olhos compostos, como se elas enxergassem através de um conjunto de lentes. Mesmo com todas estas diferenças, todas elas são suscetíveis a terem problemas oculares, os quais levam a alterações de visão. É muito importante saber reconhecer os sinais de dor ocular, os quais incluem piscar excessivo, lacrimejamento, pálpebras fechadas ou semifechadas, fotofobia (aversão à luz pela dor que ela produz em casos de afecções oculares) e coceira. Estes podem estar associados ou não a olhos vermelhos, secreção ocular de coloração clara a amarelada e olhos azulados. Todas estas alterações representam algum grau de doença ocular, e são muito importantes de serem observadas para que se busque um tratamento rápido e eficaz, evitando muitas vezes uma possível perda de visão. O Oftalmologista Veterinário é o profissional capacitado para diagnosticar, tratar e proporcionar uma melhor qualidade de vida para animais que sofrem de problemas oculares. É na consulta oftálmica que o proprietário pode esclarecer todas as suas dúvidas, entendendo com clareza o problema que aflige o seu animal. A informação faz parte não só do tratamento, mas da prevenção!

Aqui na Pet Fauna, nos temos atendimento especializado na área de Oftalmologia com a Dra Paula Hunning, sempre garantindo o melhor para o seu filhote.

               

Você sabe qual é a anestesia mais segura para o seu filhote? Existem inúmeras vantagens em escolher um local adequado, profissionais qualificados, drogas anestésicas mais seguras e com toda a tecnologia necessária para que o procedimento anestésico seja realizado sem intercorrências. Escolhendo profissionais capacitados, você entenderá que os exames sanguíneos pré-cirúrgicos são fundamentais (em todas as espécies), assim como a escolha do tipo de anestesia que a clínica veterinária esta disponibilizando para os seus pacientes. Anestesia inalatória garante uma maior estabilidade cardiovascular, maior controle da frequência respiratória, além de garantir a rápida recuperação deste paciente, fator muito importante em animais de pequeno porte, como a maioria dos animais silvestres. Aqui na Pet Fauna a segurança anestésica é uma das prioridades durante um procedimento cirúrgico. Contamos com anestesia inalatória de alta precisão e monitoramento do paciente de acordo com a sua espécie, além de estarmos sempre em busca de novidades da Medicina Veterinária. Quer saber mais sobre nossos procedimentos? Venha conversar com nossos veterinários!

(51) 3907.1017 - 3907.1027 / Cel: 99195.6755
Seg. à sex. das 8h às 19h / Sáb. das 9h às 18h
Rua João Abbott, 275 - Petrópolis Porto Alegre